Falta de professores na rede municipal ameaça o ano letivo em São Gonçalo

Faltando apenas três meses para se encerrar o ano letivo, alunos da rede municipal de ensino de São Gonçalo, ainda sofrem com a falta de professores em sala de aula.

No colégio Professora Aurelina Dias Cavalcanti, na Amendoeira, que atende alunos do primeiro segmento da Educação de Jovens e Adultos (EJA), há um déficit de profissionais de língua portuguesa, matemática, história e geografia.

Somente este ano, a escola já passou por três trocas de direção, sem que a questão principal fosse resolvida. É isso que afirmam pais de alunos e profissionais da unidade.

“Faltam investimentos na Educação de São Gonçalo. Muitos alunos encerrarão o ano letivo sem aulas fundamentais para seu desenvolvimento. Ao final do ano, teremos que preencher diários como se tivéssemos dado aulas com atividades complementares”, disse uma professora.

Ainda segundo os profissionais, a troca de direção tem prejudicado a unidade. “Não tem como desenvolver um bom trabalho sem saber até quando se permanece no cargo”, disse a educadora.

Ontem, profissionais da educação de São Gonçalo iniciaram uma paralisação de dois dias (redução de carga horária) para exigir que a prefeitura cumpra os acordos firmados.

A Secretaria de Educação de São Gonçalo informou que realizou reunião com o SEPE, ontem, para tratar destas questões. Todos assuntos elencados foram debatidos e um novo encontro foi marcado. Sobre a Escola Professora Aurelina Dias Cavalcanti, a secretaria esclarece que não existe carência em relação a professores de português.

Fonte: Jornal O São Gonçalo
Foto: Alex Ramos

Comments

comments

Você também pode gostar...